segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Agradável surpresa

Finalmente resolvi aparecer na UFMA. Fazia um tempinho que eu não visitava o campus, mas agora as aulas começaram pra valer, e preciso "marcar presença" (nos dois sentidos...).

O CCSo está em reformas, mas nada de extraordinário. Tudo ainda tem o tom daqueles primeiros dias de 2003, quando comecei a estudar no curso de comunicação social.

Há algo digno de nota. Aliás, foi só por isso que decidi relatar que voltei à UFMA. Enquanto aguardava o início de minha aula, recebi um informativo, desses que universitários fazem o tempo todo. Quando comecei o curso havia pelo menos uns dois só no curso de Comunicação, com destaque para o "Gripe", de uns amigos muito competentes. O de hoje, porém, era diferente, desde o nome: Nhoque Nhoque (ou Gnocchi Gnocchi). Estranho, não? Nem tanto, perto das idéias ali publicadas.

Foi a primeira vez que vi um tipo de zine essencialmente de direita em uma universidade pública. Ali estavam textos bem selecionados dos próprios estudantes, e trechos de Olavo de Carvalho, João Luiz Mauad, e Mário Ferreira dos Santos. Tudo isto para provar que ainda há vida inteligente na UFMA.

Parabéns a Caio Ertai, Jock Dean, Tarciso, Francisco Bezerra e Aline Queiroga, pela excelente iniciativa.

Visite aqui o blog do Nhoque Nhoque.

2 comentários:

Caio "Ertai" Andrade disse...

Caro Allen,
Muito obrigado pelo apoio.

Estamos nos esforçando bastante para impedir que as coisas continuem seguindo o rumo atual dentro a universidade. Já estou farto da ditadura cultural marxista, farto de ter que procurar autores que nunca são traduzidos para o português, farto de ser obrigado a estudar apenas Frankfurt, outros neo-marxistas, new-left.

Mas o que mais me irrita mesmo é saber que a maioria das pessoas, por entrar ali sem uma prévia preparação intelectual, acaba tomando toda essa empulhação como verdade, mais que isso, como indebatível verdade. Não quero mais ver os meus colegas nesse estado. Temos que reviver o debate.

É como me disse Klauber Pires, depois de ter apanhado e se dispersado por anos, "é como se a direita procurasse agora seus sobreviventes no 'day after'" (em referencia ao filme). Um dos principais interesses do Nhoque Nhoque era justamente essa busca.

Fico então bastante feliz não apenas por você ter elogiado a nossa iniciativa, mas principalmente por saber que encontramos mais um sobrevivente! E um que reconhece João Luís Mauad, Olavo de Carvalho e Mário Ferreira dos Santos.

Manterei contato,
Caio Ertai Andrade

Allana disse...

Allen, ainda há vida inteligente na UFMA, sim!!! :P