segunda-feira, 15 de outubro de 2007

O fundamento cristão para o cuidado com o Meio ambiente [Blog Action Day]


Mesmo não cadastrado no Blog Action Day, pretendo (clandestinamente) dar a minha contribuição para pensar o cuidado com o meio ambiente em nosso contexto. Há posts excelentes pela blogosfera, como o de Pablo Ramada, e eu recomendo que você leia materiais desse tipo.

Penso que, embora a discussão desta temática esteja na mídia, e muitas pessoas (dentre elas cristãos) estejam a desenvolver uma consciência mais profunda sobre a importância do cuidado com o meio ambiente, poucos têm uma verdadeira base sobre a qual podem alicerçar suas idéias e práticas.

Sobre bases e fundamentos escrevi há pouco tempo, e destaquei a importância de tê-las. Fazer qualquer coisa sem saber por que não parece algo muito responsável.

Assim, uma das maiores ajudas que alguém pode ter para compreender o fundamento do cuidado com o meio ambiente está em um livro de Francis Schaeffer, cujo título é "Poluição e a morte do homem".

Neste livro, Schaeffer demonstra os erros que dão base para a preocupação ambiental, e apresenta a sua ineficácia para gerar um cuidado consciente e verdadeiro. O panteísmo, por exemplo, que afirma estar Deus na natureza, e aponta para algum tipo de simbiose entre Deus e Sua criação, não pode oferecer auxílio, pois coloca a natureza acima do homem, deixando a "obra-prima" de Deus submissa às demais criaturas irracionais.

Algumas formas (não-bíblicas ou anti-bíblicas) de cristianismo também são ineficazes, pois exaltam o homem sobre a natureza, colocando-a como simples objeto de dominação, e assim dão a este o direito de abusar dos recursos naturais conforme ele bem entender. Isto causa os problemas ambientais que temos visto.

O ateísmo certamente também não pode ajudar, pois nem sequer vê propósito na existência das coisas, então não faria sentido qualquer esforço coletivo para salvar o mundo, pois nem há razão para salvá-lo (já que ele não vai a lugar algum, nem tem razão de existir...).

Por fim, somente o cristianismo bíblico responde ao meio ambiente da forma correta. Somente uma visão coerente com o ensino das Escrituras pode ter fundamento sólido para cuidar da criação. Esta visão não vê a natureza acima do homem, nem dá a este o direito de abusar das coisas criadas, mas vê, em um primeiro momento, a natureza e a raça humana em igualdade, no sentido de serem ambas criação de Deus, e num segundo momento o homem acima da natureza, mas responsável diante de Deus pela sua manutenção. Deus delegou ao homem o papel de cuidar das coisas criadas, e nenhuma outra visão pode encarar o relacionamento homem/criação da forma correta até que entenda isto.

Ainda há muito o que pensar sobre esta relação e sobre o papel da igreja diante do cuidado com o meio ambiente, mas uma reflexão sobre estes pontos certamente abrirá a mente e nos dará muito mais certeza do que devemos fazer.

Soli Deo Gloria.

"Quando nós tivermos aprendido a visão cristã da natureza, então poderá haver uma ecologia verdadeira; a beleza fluirá, e liberdade psicológica virá, e o mundo parará de ser transformado em um deserto. Porque é correto, baseado num sistema cristão completo - que é forte o bastante para resistir a tudo porque pe verdadeiro - quando eu encaro o ranúnculo, eu digo: 'criatura companheira, criatura companheira, eu não pisarei em você. Somos ambos criaturas'. " (Francis Schaeffer, Poluição e a morte do homem)

4 comentários:

AmandA SeguinS disse...

Ainda não tinha lido nd a respeito desse tema! E principalmente com teses bíblicas!

Muito bom!

Um abraço,

Amanda Seguins

Pablo Ramada disse...

Esse é o pequeno mestre.

Deus te abençoe!

Allen Porto disse...

Obrigado!
Aos dois!
abraço
:) SDG

Mentoria Espiritual disse...

Gostei do seu texto sobre meio-ambiente. Meu blog estava cadastrado e postei um texto sobre o meio ambiente. E, também, publiquei o conteúdo da carta da terra. Gostaria que você fizesse um comentário.
Neuber