terça-feira, 29 de setembro de 2009

Um só Deus?

O cantor-pastor-celebridade André Valadão participou de um show que suscita comentários "esquentados". Veja um trecho do post no blog dele. Volto ao fim da citação.

Quer viver algo novo de Deus? Então faça algo que você nunca fez!!!

Milhares de pessoas se reuniram para adorarem a Deus em Goiânia, todos praticamente fazendo algo que nunca fizeram. Saindo das 4 paredes da igreja e entrando em “unidade” para adorarem a Deus. Sem a motivação de levantarem bandeiras religiosas ou placas de denominações. Tudo foi feito para levar a benção, o nome de Cristo e o fluir do Espírito Santo naquele lugar.

Nossa geração sem dúvida alguma esta sendo marcada por um tempo novo, diferente de tudo que já se viu. São milhares de pessoas que estão se unindo por um mundo melhor, por vidas salvas, perdoadas e que podem reviver, renascer, desfrutar da benção de Deus.

Tanto eu quanto o Grupo Rosa de Saron nos unimos esta noite em Goiânia para proclamarmos isso: O que nos une é muito maior do que aquilo que nos separa, nossa fé pode gerar em nós amizade, maturidade e comunhão. [...]



Voltei.
Em poucas linhas, muitos problemas. Para o leitor se situar, o grupo Rosa de Saron, com o qual o cantor gospel fez o show, é uma banda católica (...e assim, com as crenças católicas. Ok, comentário inútil, mas penso que a ficha ainda não cairia para os menos atentos).

O jovem Valadão se uniu para adorar com católicos. Comento o trecho transcrito:

1. O texto (se foi escrito ou não pelo cantor, não me interessa - foi publicado no blog dele como texto descritivo do evento, então expressa a sua opinião) parte do pressuposto de que católicos e evangélicos podem se unir para adorar a Deus. Problema anterior: ele parte do pressuposto de que um não-regenerado pode adorar a Deus. Como? Ninguém explica.

2. Há também a pressuposição de que é possível evangélicos entrarem em "unidade" com católicos. Notem o detalhe: há vários sentidos e contextos para o uso desta palavrinha. No entanto, a unidade do pastor-cantor Valadão é a unidade de adoração. Em outras palavras, mesmo que crenças fundamentais, como a salvação somente pela graça e a autoridade da Escritura sobre a tradição, estejam em contraposição no cenário evangélicos x católicos, para o Valadão há uma união profunda: "o que nos une é maior do que aquilo que nos separa". Estranho, não?

3. Esse negócio de "nossa geração está sendo marcada por algo novo", e etc. já é usado há muito tempo. Se a coisa acontecesse toda vez que alguém escrevesse isso, o mundo todo seria convertido.

Uma série de críticas está sendo lançada sobre o André (como era de se esperar) - mas não no blog dele. Dos 37 comentários ao post sobre esse show, apenas um considera tal evento problemático (aliás, não só o evento, mas a mentalidade). Das duas, uma: ou todos concordam com isso, ou alguém não quer manifestações contrárias no seu blog...

Para ler uma crítica ao show, visite o blog Cinco Solas [clique aqui].

6 comentários:

Roberto Vargas Jr. disse...

Meu caro Allen,
Está lendo muito Reinaldo Azevedo, heim?! rsrsr
Como você sabe, sou cuidadoso ao falar de outras linhas teológicas/pensamento. Por isso não pegaria tão pesado com os católicos. Sim, há doutrinas terríveis por lá, mas a verdade é que o pensamento católico transcende bastante a religiosidade popular com a idolatria que conhecemos. Creio que ainda haja fé genuína entre eles!
Por outro lado, condeno veementemente qualquer universalismo e mesmo um ecumenismo que procure ignorar as barreiras intransponíveis da sã doutrina. Qualquer evento que tenha esta conotação nunca terá meu apoio. Ainda mais se promovido pela questionável música gospel brasileira...
No mais, comentário bastante ponderado o do Clóvis, como é o costume dele!
No Senhor,
Roberto

Clóvis disse...

Allen,

O Roberto Vargas me deu um toque de suas considerações sobre o evento. Já coloquei um Post Script linkando sua postagem.

Sobre os comentários no blog do André Valadão, li queixas de que apenas os prós estão sendo publicados. Ele até ameaçou processar alguém que fez uma crítica mais direta a ele.

Em Cristo,

Clóvis

lucyffaraujo disse...

Sinceramente, não consigo ver fé genuína nos católicos, já que parte de suas ações e crenças são contra a palavra de Deus. Para mim, uma pessoa que diz que acredita em Deus e em Jesus ,mas idolatra Maria e afins se iguala a um ateu.E tal forma de ecumenismo,como foi colocado,é preocupante,pois transparece uma aceitação.
[Estou ríspida hoje.]

Roberto Vargas Jr. disse...

Minha cara Lucy,

Aí é que está! A salvação de alguém, católico, reformado ou outro qualquer, não depende de que você consiga ver ou que eu creia que haja fé genuína nele, mas unicamente da eleição soberana de Deus. A fé é dom de Deus (Ef 2.8-9), e Ele distribui seus dons como Lhe apraz (I Co 12.11).

Quanto à mariolatria, nem de longe este é a único, ou mesmo o maior, problema teológico dos católicos. Mas espero que você tenha quanto aos seus próprios "pecadilhos" o mesmo rigor com que julga o pecado católico.
Pois, no que se refere a mim, sei bem que no que depende de minhas forças, sou o pior dos pecadores (I Tm 1.15). Porém, graças a Deus que Sua misericórdia impede que sejamos consumidos (Lm 3.22). Soli Deo Gloria!

No amor de Cristo,
Roberto

PARA AMIGOS disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Pensador disse: O problema dos Valadoés, não é estar diante do Trono,o que acho saudável. O problema é quem tem muita gente sobre o trono,em cima do trono,ou como diria o matuto: em riba do trono, trepado no trono. E isso é mal.