terça-feira, 19 de janeiro de 2010

As coisas que a gente encontra pela internet...

Fazia um tempo que eu não postava citações nefastas. Hoje li um artigo do Ricardo Gondim cheio delas. Selecionei algumas pérolas:

Contudo, eu já me despedi da racionalidade desse pacote. Não tolero que as conclusões medievais de Santo Anselmo calcem o meu chão teológico. Ele pensou a partir da ideia sinistra de que a Divindade estava ofendida pelo pecado da humanidade. Praga bubônica, tsunamis, devastação de colheitas por secas e inundações ainda são insuficientes para aplacar o ódio do Senhor – segundo o calvinismo, as crianças já chegam ao mundo condenadas; devido ao pecado original, “nascem debaixo da ira de Deus”. Antecipo dizerem que vez por outra Deus precisa mesmo dar uma mexidinha nas placas tectônicas para mostrar seu grau de cólera com a humanidade.

Não refuto tais argumentos. Eles fecham o esquema lógico do raciocínio daqueles que se autodenominam Reformados. Porém, como acreditar em um Deus que escolheria exatamente os haitianos para revelar o tamanho de sua ofensa? Por que exatamente sobre um povo já esquecido em sua indigência? Os calvinistas que fiquem com esta divindade, eu não posso acreditar que exista um Deus que sempre começa a sua vingança com os indefesos.

Mais adiante ele diz:
Que Deus é esse que permite que ricos se defendam de sua ira extrema? New Orleans está conseguindo voltar ao normal depois do Catrina. Para os haitianos condenados ao charco pútrido, as mortes continuarão por décadas. O que lhes acontecerá quando o próximo furacão voltar a açoitar sem misericórdia?
Ainda adiante:

Não creio na teologia da Providência (se não conhecer o seu significado, bastar pesquisar nos melhores manuais calvinistas). Aceito que Deus amorosamente participa nas iniciativas de bondade e nos movimentos de justiça que um cataclismo possa desencadear. Não imagino que o Deus de Jesus Cristo possa estar por detrás de um acidente tão horrendo. Ele é luz e interpela homens e mulheres de bem para que se façam presentes na catástrofe, minorando o sofrimento dos pobres. Descreio das lógicas que transformam os pensamentos divinos em maldição. Deus é o Deus da paz.

* * *

Meus comentários? muito sentimento, pouca verdade [ou nenhuma].

4 comentários:

João Calvino disse...

Eu teria duas perguntas ao Gondim:

Ele não admite que Deus possa intervir, salvando alguns por sua Providência?

E o que dizer do juízo, tanto apocalíptico como final?

A salvação então é uma questão que tem a ver com minha condição financeira e de saúde? Se eu fui pobre, miserável, então, não preciso da graça, já estou salvo...

Allen Porto disse...

Uau, João Calvino comentou no meu blog... =p

Ótimas perguntas. De fato, esta noção "financeira" da salvação, que, em última análise, é materialista, incomoda-me profundamente.

Como o Gondim reconheceu no texto que o calvinismo é lógico e coerente, não sei se ele teria respostas para as suas perguntas, já que ele não preza tanto pela coerência...

abraço

Ricardo Mamedes disse...

Allen,

Eu já havia lido essa pérola do Gondim. Sinceramente, me responda, dá pra entender esse sujeito com as suas elucubrações extrabíblicas?
Que Deus é esse do Gondim, que não participa de "certos eventos" por ser apenas bonzinho?

Deve ser outro deus, não o da Bíblia. Logo, se não é o da Bíblia, não é Deus.

Em Cristo,

Ricardo

lucyffaraujo disse...

Como sempre eu e meus comentários chulos rsrs Mas esse texto só traduz a concepção de que existem pessoas
( Muitas na verdade) que acreditam que Deus é "Papai Noel".