quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Allen..., existe base bíblica para cura interior, quebra de maldições, pedir perdão pelos pecados de antepassados?

Em linhas gerais eu diria: não, não e não.

Quanto ao primeiro item, refiro-me ao movimento de cura interior (vai que alguém usa o termo "cura interior" em um sentido diferente, fora do movimento - aí teríamos que avaliar se o sentido tem respaldo bíblico).

Mas em geral existem pressupostos errados - de substituição da Escritura por psicologia, por exemplo (creio que o erro está exatamente na substituição) - , ou ainda práticas erradas (tentativas de "visualizar" Jesus), enfim, técnicas que fogem do trato bíblico sobre confissão de pecados, arrependimento, e perdão. É lógico que, na prática as coisas parecem mais complicadas, mas isso não é motivo para substituirmos a Escritura por qualquer outra coisa.

O fenômeno da quebra de maldições anda de mãos dadas com o movimento de batalha espiritual, e o pressuposto fundamental é que a autoridade na quebra das maldições é do homem. Ou seja: Deus já pode ter tirado você do domínio do pecado, e colocado no reino do Filho do Seu amor, mas ainda é você que precisa quebrar as maldições.

Isso é complicado do ponto de vista lógico (como Deus pode quebrar a maior das maldições - o domínio do pecado sobre você - e não quebra as outras maldições relacionadas?) e mais ainda do ponto de vista bíblico (que ensina não haver poder maior do que o de Deus, e autoridade maior que a dEle - quem quebra a maldição sobre nós é Ele).

Isso nos leva às maldições hereditárias, que são outra expressão de mentalidade antibíblica, pois a Escritura ensina a responsabilidade moral e espiritual do indivíduo. (Cf. Ez.18.4,20)

E, pra misturar e bagunçar tudo, ensinam esse negócio de pedir perdão pelos pecados dos pais e antepassados - quase num ritual católico de rezar pelas almas dos falecidos. Não há nenhum respaldo bíblico. Pelo contrário, a Escritura ensina que após a morte vem o juízo (Hb.9.28), e portanto não há cerimônias "post mortem" que resolvam o problema dos que já se foram.

Para saber mais, visite estes links:
http://www.monergismo.com/textos/seitas_heresias/quebra_maldicoes_nicodemus.htm
e
http://www.cacp.org.br/estudos/artigo.aspx?lng=PT-BR&article=1211&menu=7&submenu=4

Abraço, e obrigado pela pergunta.

Pergunte qualquer coisa

2 comentários:

Edinelson Lopes disse...

Allen... não seria por causa de uma má (intencional ou não) interpretação dos textos de Ezequiel 18 que alguns confundem pedir perdão pelos pecados dos antepassados com confessar pecados de seus pais?

Vejamos, você indicou uma página do site Monergismo onde encontramos a seguinte afirmação:

"...a partir do momento em que estes filhos se arrependem de seus próprios pecados, e os confessam a Deus, confessando igualmente os pecados de seus pais..."

Sem interpretá-lo isoladamente a fim de não parecer que eu concordo com tal afirmação, mas esta frase não afirma que há a necessidade de confessar seus próprios pecados e também de seus país?

Será Allen, que eles não confundem confessar pecados com pedir perdão de pecados?

Arrazoemos...
BLOG - SIGA O MESTRE

Allen Porto disse...

Certamente é por uma interpretação errônea de textos bíblicos.

Se interpretarmos isoladamente a frase que você transcreveu, de fato parece que ela ensina sobre a necessidade de confessar também o pecado dos pais. Mas quando lemos o artigo em seu teor geral, é impossível concebermos que era essa a intenção do autor, pois do início ao fim ele trata a coisa a partir da responsabilidade individual.

Talvez eles confundam mesmo o confessar com o pedir perdão...

Abraço