terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Não se engane sobre Philip Yancey e Brennan Manning

Os dois autores estão vendendo como água. Até bem pouco tempo (dias) nada tinha pra falar sobre eles. Nem contra, nem a favor. Mas ao visitar o blog da Norma fui alertado para um ponto importante. Ela descreve a estratégia sutil (muito utilizada pelos esquerdistas) de ser impreciso sobre questões relevantes. Refiro-me, neste caso, ao homossexualismo. Yancey fala de sua amizade com Mel White, homossexual assumido e pastor de uma comunidade que defende a causa gay. Ele demonstra isso em seu livro "maravilhosa graça". Até aí nenhum problema. Não há mal nenhum em ser amigo de um homossexual. Mas o renomado autor vai mais longe, ultrapassando os limites estabelecidos pela Bíblia. Em sua entrevista à revista enfoque gospel, ele afirma ser a homossexualidade algo relacionado à identidade do ser.

Entrevistado por uma revista eletrônica de uma comunidade "cristã" para gays e lésbicas (sob o comando da "pastora" lésbica Cancade Chellew-Hodge), Philip afirma aberrações, como:

“No que se refere a assuntos de doutrinas, como a ordenação de pastores gays e lésbicos, fico confuso… Francamente, não sei a resposta para essas questões”.

“Obviamente, se uma igreja está dizendo que você precisa abandonar a orientação sexual, essa igreja precisa receber educação”.


A Norma ainda demonstra como ele busca, com discrição, "promover valores modernosos antibiblícos", bem como destruir a imagem da igreja americana conservadora.

A sutileza e estupidez da postura de Yancey é desmascarada por Júlio Severo, que demonstra com clareza o perigo de tal posição.

O autor de "Maravilhosa Graça" também é desmascarado por Andy Comiskey, ex-homossexual que agora defende a posição bíblica sobre o assunto. Andy começa o seu artigo falando de outro escritor que começa a ganhar muito espaço no Brasil: Brennan Manning. Falando de seu contato pessoal com Brennan, afirma:

"Encontrei-me com Manning para um almoço para tratar dessas questões. Ele pareceu ter ficado realmente ofendido quando expressei minhas preocupações com as referências ambíguas dele com relação ao homossexualismo em seus artigos e livros. Durante nosso almoço incômodo, ele defendeu os “casais” gays que vivem em compromisso. Ele também desafiou meu compromisso de defender a ética sexual bíblica — nenhum sexo com homem ou mulher fora da aliança conjugal heterossexual — taxando-me de desinformado e de ter uma mente estreita. Eu compartilhei com ele acerca do compromisso do ministério Desert Stream de dar oportunidades seguras e fortes na igreja para a transformação dos homossexuais. Meu assistente Mark Pertuit e eu demos para ele testemunho de nossas próprias caminhadas de cura. Manning rejeitou nosso testemunho com o argumento de que eu não tinha conhecimento suficiente de teologia moral para ser levado a sério nessa questão."

Desta forma, a obra desses autores deve ser tratada com muita cautela, para discernirmos biblicamente o que pode ser aproveitado e o que não pode.

Recomendo a leitura das fontes que indiquei. Elas demonstrarão que o assunto não se trata de divagações, mas de pontos reais e sérios, que merecem ser discutidos diante de toda a igreja para que não caiamos nos enganos das ambiguidades que nos apresentam.

Tomemos cuidado na hora de escolher a nossa literatura. Não basta ser famoso, é preciso ser bíblico.

Leia ainda:

Norma Braga sobre o homossexualismo

4 comentários:

O PENSADOR disse...

Obrigado pelos alertas Allen.
Quanto a Philip Yancey, tenho algumas obras dele, de períodos em que não expressava esta posição deturpada da palavra de Deus... OAlguns livros que possuo dele, identificam um homem inconformado com a atitude atual da igreja, contudo, sou obrigado a concordar com a Norma. Yancey parece tão frustrado com a Igreja atual que pode levar um fraco na fé a entender que do lado de fora está melhor... Enfim, já não tenho mais comprado nada de Yancey, pelo menos nada que ele tenha escrito recentemente, ..., quanto as obras antigas, fico com o posicionamento de Paulo... "julgai todas as coisas, retende o que é bom"

Quanto a Brennan, li um pequeno trecho de seu livro "a assinatura de Jesus" e fiquei tentado a compra o livro em virtude do capítulo publicado da internet ter sido muito bem escrito...
Enfim, não encontrei o livro nas bancas e comprei o "evangelho maltrapilho e o impostor que vive em mim...
Foi uma decepção, não porque ele seja completamente herético em suas colocações, mas porque ele argumenta de forma excelente expondo suas idéias e convencendo os incultos seguindo a tendência teológica atual de juntar a bíblia várias ferramentas de auxílio a sua interpretação. Enfim, ..., enquanto pautado nas escrituras em seus argumentos encontrei textos que valiam a pena serem lidos, mas ao analisar a obra como um todo, mas me parece um livro de auto-ajuda, e aconselhamento vindo das doutrinas psicanalistas que tanto lutam contra a Bíblia do que um auxílio ao fortalecimento da fé.
Na maioria das vezes inicia uma argumentação com uma posição sólida e perde-se dentro do achismo do EGO, unindo o bíblico e o anti-bíblico num casamento perfeito a teologia atualmente pregada pelo mundo, pois a igreja deixou de firmar seu posicionamento quanto a palavra de Deus. Principalmente a igreja americana! Agora o mundo dita o que devemos acreditar e por fim, acreditamos...
Infelizmente, não tenho nada positivo para falar de Brennan, que não seja seu único capítulo bíblico publicado na internet para atrair-nos as bancas, a fim de que, ao ler o bíblico, incorporemos o que também não o é...

Valeu pelo Post...

danieldliver disse...

Essa polarização entre Comiskey e Manning me deixou reflexivo, pois, para mim, ambos trabalham para a Graça.

Um leitor anônimo postou um link para um artigo de Sérgio Pavarini, publicado na revista Ultimato. No texto, o jornalista cita o capítulo do livro de Yancey, Alma Sobrevivente, em que este aborda o elemento homossexualidade na vida do aclamado escritor holandês Henri J. M. Nouwen, o ferido que cura feridas.

Em seguida, Severo responde ao link dizendo algumas palavras "sem graça" sobre o autor do referido artigo. Outra desagradável polarização.

E eu aqui pensando se O Conflito é "graça X verdade" ou "amor X soberba/malícia"...

http://danieldliver.blogspot.com/search?updated-max=2008-01-11T11%3A33%3A00-02%3A00

Renato Oliveira disse...

Muito bom este Post!
É muito bom estarmos atentos aos que se dizem proclamar o evangelho, pois muitas vezes não é bem isto que eles pretendem!
Não custa nada ler, julgarmos, e absorver o que for bom!

Fique com Deus!!!


www.sorogospel.blogspot.com

Wagner Santos disse...

Sinceramente, não vi maldade no que estava escrito na revista Enfoque Cristão. O homossessualimso é pecado? SIM é pecado, na bíblia diz isso. Mas não devemos e nem podemos julgar essas pessoas, NÃO SOMOS NÓS QUEM CONVENCEMOS DO PECADO, eles precisam de alguém que as ame e as leve pra igreja DO JEITO QUE ELAS SÃO, se exigirmos que elas mudem ANTES de ir pra igreja, já a perdemos. Novamente digo que devemos amar essas pessoas que não vão pra igreja por causa dos 'crentes' que as julgam. Crente o diabo também é. Se o que ele escreve não se mostra real DEUS vai fazer com que isso se torne público. Nosso trabalho não é julgar. Não posso falar muito sobre a obra dele porque não li nada, mas temos feito desse assunto um flameware e acho que não é assim que nós cristão devemos agir.
Ainda assim, fica o alerta de ler com ponderação as obras deles.