terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

TEOLOGIA DAS MÃOS ESTENDIDAS: A estética da adoração vs o quebrantamento espiritual


“É batata!”. Como demonstrar a sua profunda devoção e espiritualidade no meio dos crentes de hoje? Siga a simples fórmula popular e aprovada. Deve ter algum “iso-vinte-mil-e-alguma-coisa” por aí de tão eficaz que é.

Tudo começa assim: na hora do louvor, feche os olhos. Não importa qual a música, mas prefira as lentas. Franzir a testa, como se estivesse sentindo dor em algum lugar, pode dar um tom mais piedoso ao seu teatro. Em seguida levante as mãos para o céu. Você não sabe o porquê disto, mas as pessoas à sua volta também não. Então elas olharão para você como um cara espiritual. Talvez até tentem imitá-lo.

Esta fórmula é tão popular pelo seu aspecto pragmático – ela funciona para os seus propósitos. Deve-se dizer, desde o início, que o objetivo não é a adoração em si, mas uma estética impressionante de adoração. Isso significa dizer que, em muitos casos, quando estes elementos estão combinados, as pessoas estão preocupadas em como vão parecer diante da igreja ou até diante de Deus, mas perderam o foco do ponto mais importante: o seu coração quebrantado perante o Pai.

A tragédia disto é a freqüência deste acontecimento. As pessoas levantam suas mãos e batem palmas ao final das canções sem uma compreensão adequada do que estão fazendo. Elas fecham os seus olhos e fazem os gestos e expressões de piedade sem uma base verdadeiramente sólida que afirme ser tudo isso verdadeira adoração.

Pois bem, o caminho bíblico anda longe disto. No manual prático sobre adoração dado por Jesus em João 4, o Messias deixou claro que a adoração está desvinculada de aspectos meramente formais. Eu digo meramente porque há elementos formais essenciais para a adoração, determinados pela Bíblia, como a oração, a leitura das Escrituras, a pregação, a confissão de pecados e o cântico de louvores. Estes são essenciais para a reunião solene da igreja – o culto público – e devem se fazer presentes também, com a devida adequação, no culto particular, individual.

Jesus ensinou que a adoração não estava ligada a questões puramente externas – como o local. Não importa se é na praia ou num monte. Num templo ou numa praça. Da mesma forma, não importa se é de olhos fechados e mãos levantadas, ou sentado, em posição reflexiva.

Cristo quebrou, há muito tempo, os paradigmas que nós tentamos estabelecer hoje. Isso significa dizer que eles são natimortos! Já nasceram inúteis. Além de sua inutilidade, eles têm contribuído para um sectarismo destrutivo na comunidade cristã. Quem não se expressa da forma “pop” de adoração é frio espiritualmente, ou tem sérios problemas em seu relacionamento com Deus. Não é isso o que eles dizem por aí?

A dificuldade está no fato de que não há qualquer referencial do ponto de vista bíblico e lógico para provar tais assertivas. O referencial pragmático apenas confirma que a supervalorização do efeito estético e aparente sobre a realidade interna do coração evidenciam adoradores de si mesmos, idólatras que ousam se apresentar diante do Altíssimo para cultuar a sua própria imagem.

Como somos ousados...

6 comentários:

Éverton Vidal disse...

hahaha Gostei! Muito bom!
Parabèns pelo blog.

Caio disse...

Muito legal sua postagem! É extremamente verdade!

O mais incrível é que se você não cumpre esse padrão já é rotulado como um cristão frio, que não dá liberdade para o Espírito Santo agir...

Muito boa a postagem!

Pablo Ramada disse...

rum....hum..hum....

RECOMEÇAR PRESENTE DIVINO disse...

A Paz!
Maravilhosa sua postagem!
Obrigada!
Precisava ler algo assim sobre o assunto, visto que já me criticaram pela a minha adoração ser "singela"...

Amei seu Blog!

Anderson disse...

Falou e disse.
Nós temos a mania de valorizar excessivamente os formalismos em detrimento do conteúdo.
Acabo de adicionar o seu blog à minha lista de favoritos.
Fique na Paz.
gracasomente.blogspot.com

Karina disse...

Por que não levantar suas mãos para adorar o Altíssimo e se prostrar pra adorá-lo?
Não por formalidade, mas por gratidão!
Quem nunca o fez experimente fechar seus olhos, levantar suas mãos para adorá-lo se entregando por inteiro.

"Suba a minha oração perante a tua face como incenso, e as minhas mãos levantadas sejam como o sacrifício da tarde." Sl141.2