sexta-feira, 13 de março de 2009

10 idéias que estão mudando o mundo neste momento: 3. O novo Calvinismo


Dica do Charles Grimm:

O site da Revista Time publicou uma série de artigos sobre 10 idéias que estão mudando o mundo neste momento. A terceira, segundo eles, é o "novo Calvinismo" - um reavivamento do velho Calvinismo de Edwards e Calvino.

Entre os exemplos desta corrente, o site cita John Piper (sempre ele), Mark Driscoll e Albert Mohler, bem como o blogueiro Justin Taylor (na verdade só é mencionado o nome do blog - between two worlds).

É interessante notar como há o reconhecimento do crescimento e da influência do Calvinismo na cultura (norte-americana) contemporânea.

Seria ótimo se seguíssemos o mesmo exemplo.

Só para constar: John Piper e Albert Mohler são batistas calvinistas!

2 comentários:

junquera, r. disse...

É engraçado, e chega a ser paradoxal, que os EUA (já que você mencionou a cultura norte-americana), tenham sido fundados com base no secularismo e que hoje sejam um dos países mais religiosos dentre os países cristãos. Fazendo uma comparação, a Inglaterra, onde o monarca está intimamente ligado à Igreja, está entre os países menos religiosos.
os pais fundadores da constituição estadounidense, eram declaradamente a favor do estado laico, e assim o fizeram. Os governos mais recentes, entretanto, governaram de forma atrelada à igreja e à fé das pessoas. Isso porque os ideais religiosos levados aos EUA pelos imigrantes que colonizaram aquele país foram indubitavelmente essenciais à consolidação da economia, e hoje as igrejas locais representam a identidade das comunidades estadounidenses. As igrejas rivais competem pelas congregações (e pelo dízimo, obviamente), com todas as ferramentas da competição do mercado capitalista. A competição entre as igrejas, estende-se muitas vezes, aos seus fiéis, que vestem a camisa.
Não só pelo exemplo supracitado, mas pelo que tenho visto ser feito em nome da religião, eu penso que a paz, o amor e o respeito pelo próximo, a solidariedade, a compaixão, a educação, a gentileza, e tudo o mais pelo que luto e almejo para o mundo, não virá atrelado a nenhuma fé ou religião, e não será trazido por nenhuma igreja.
Se há um modelo que eu admiro e gostaria que seguíssemos, é o das remanescentes pequenas comunidades hippies, onde a igualdade, o respeito, e o amor, a harmonia e a paz não são valores pregados, nem almejados, mas sim intrínsecos àquelas pessoas. Um sonho!

Anderson disse...

É bom saber que o Calvinismo tem influenciado o mundo (apesar de eu não saber exatamente o que vem a ser esse "novo calvinismo").
Acredito que é bom porque o Calvinismo traz imbutidas em si muitas idéias benéficas, como a do trabalho como forma de culto a Deus e a da unidade da vida secular e da vida religiosa.
Sobre a questão abordada no comentário anterior, também considero saudável a separação entre a Igreja e o Estado, mas este jamais deve apartar-se dos valores cristãos, sem os quais a sociedade está fadada ao fracasso.
Sobre as comunidades hippies, é bom lembrar que os ideais por elas almejados não deixam de ser cristãos, pois foi exatamente na pregação de Cristo que eles se fundamentaram.
Anderson
(www.gracasomente.blogspot.com)